É uma página onde aparecem os meus pensamentos, sentimentos, sob a forma de...
Terça-feira, 7 de Junho de 2011
Nevoeiro

Ergueu-se um denso nevoeiro de sombras

Esfumando a luz suave dos candeeiros

Passam os cautelosos carros rasteiros

Farejando o caminho de lombas.

 

Surgem fantasmas na densa brancura

Armados da grande branca cegueira

Formam a grossa, distinta barreira

Que aos olhos lançam com grande secura.

 

Levando aos ombros os grandes perigos

Enfrentam a densa e branca cortina

Como se fossem da frágil neblina

Os eleitos carrascos inimigos.

 



publicado por fatimanascimento às 21:34
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

30
31


posts recentes

sono

À Fátima Nascimento (de A...

Regresso a casa (letra já...

Ontem as nossas...

Neve

O amor venceu

Nevoeiro

Oh calma...

poesia

os ponteiros

arquivos

Julho 2018

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

tags

todas as tags

favoritos

A manifestação de Braga

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds